Login
 
Home


"Luiz Carlos Prestes entrou vivo
no Panteon da História.  
Os séculos cantarão a 'canção de gesta'
dos mil e quinhentos homens da
Coluna Prestes e sua marcha de quase
três anos através do Brasil.
Um Carlos Prestes nos é sagrado.
Ele pertence a toda a humanidade.
Quem o atinge, atinge-a."

(Romain Roland, 1936)


ILCP
A ATUALIDADE DA COLUNA PRESTES – 90 ANOS DEPOIS
Escrito por Anita Leocadia Prestes   

A 28 de outubro de 2014 completam-se 90 anos dos levantes no Rio Grande do Sul que deram início à Marcha da Coluna Prestes, também conhecida como Coluna Invicta.

Pela primeira vez na História do Brasil, um movimento com participação popular, dirigido contra o poder do Estado, não foi derrotado. Momento culminante do tenentismo, cujo programa de reformas de cunho liberal (voto secreto, representação e justiça, liberdades públicas, etc.) adotara, a Coluna Prestes, durante sua marcha de 25 mil quilômetros, com a duração de 2 anos e 3 meses,  através de 13 estados do Brasil, ao vencer 18 generais governistas e tentar a derrubada do presidente Artur Bernardes, contribuiu significativamente para debilitar o poder das oligarquias agrárias  - o sistema de dominação oligárquico -  então vigente no país.

Última atualização em Sáb, 17 de Maio de 2014 21:44
Leia mais...
 
Luiz Carlos Prestes, uma história a ser contada: por ocasião dos 24 anos de sua morte
Escrito por Marcos Cesar de Oliveira Pinheiro   

Em 7 de março de 1990, aos 92 anos, faleceu Luiz Carlos Prestes, o Cavaleiro da Esperança. Uma das figuras emblemáticas da história do Brasil - e também da história mundial -, Prestes faz parte da plêiade de revolucionários do século XX que, com seus erros e acertos, lutaram arduamente pela conquista do socialismo e do comunismo, enfrentando grandes sacrifícios e demonstrando total dedicação, profundas convicções ideológicas e inegável heroísmo.

Última atualização em Dom, 09 de Março de 2014 17:21
Leia mais...
 
O PCB E O GOLPE CIVIL-MILITAR DE 31/3/1964 (1): POR QUE AS ESQUERDAS FORAM DERROTADAS?
Escrito por Anita Leocadia Prestes   

Tornou-se um truísmo, a partir de 1/4/1964, a crítica ao PCB por não ter resistido ao golpe civil-militar, assim como a acusação de que tal posicionamento seria decorrência de sua política pacifista, do despreparo para a resistência aos golpistas e de ilusões na burguesia e no “esquema militar” do presidente João Goulart.

Última atualização em Qui, 14 de Novembro de 2013 01:38
Leia mais...
 
Leia artigo de Anita Leocadia Prestes entitulado: O LEGADO DE LUIZ CARLOS PRESTES E OS CAMINHOS DA REVOLUÇÃO SOCIALISTA NO BRASIL
Escrito por Anita Leocadia Prestes   

O exame do período histórico que se estende durante cerca de sete décadas, a partir da fundação do Partido Comunista Brasileiro (PCB), no início dos anos 1920, nos mostra que, apesar das mudanças táticas havidas na política do partido, a estratégia nacional-libertadora da revolução brasileira permaneceu intacta, marcando de maneira indelével a trajetória dos comunistas brasileiros (Prestes, A.L., 1980, 2001, 2010, 2012).

Última atualização em Ter, 21 de Janeiro de 2014 01:01
Leia mais...
 
CENTENÁRIO DO NASCIMENTO DE LYGIA PRESTES – UMA COMUNISTA DISCRETA
Escrito por Anita Leocadia Prestes   

Lygia Prestes completaria 100 anos de idade no dia 4 de agosto de 2013. Irmã mais moça de Luiz Carlos Prestes, nasceu na cidade do Rio de Janeiro, então capital da República. Junto com seus quatro irmãos, vivenciou na infância e adolescência as dificuldades de uma família de poucos recursos.

Sua mãe, Leocadia Felizardo Prestes, com a morte prematura do marido, que a deixou numa situação financeira muito precária, teve que desenvolver múltiplas atividades para garantir a sobrevivência da família. Deu aulas de idiomas e de música, trabalhou de modista, foi balconista e costurou para o Arsenal de Marinha. Finalmente, em 1915, conseguiu ser nomeada professora da Escola Pública, cargo que exerceu até 1930. Trabalhava à noite, em cursos frequentados por comerciárias, operárias e domésticas. Leocadia pôde assim ter contato com as camadas mais pobres da sociedade e isso aguçou sua revolta contra as injustiças sociais.

Na educação dos filhos, sua grande preocupação foi sempre a de incutir-lhes o amor ao trabalho e o sentimento do dever cívico. Procurou mostrar-lhes os aspectos negativos da vida, ensinando-os a enfrentar com altivez a violência e as arbitrariedades dos poderosos e a jamais se curvar ante as injustiças.

Última atualização em Sex, 02 de Agosto de 2013 03:58
Leia mais...
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Pagina 7 de 10