Login
 
Home Notícias


"Luiz Carlos Prestes entrou vivo
no Panteon da História.  
Os séculos cantarão a 'canção de gesta'
dos mil e quinhentos homens da
Coluna Prestes e sua marcha de quase
três anos através do Brasil.
Um Carlos Prestes nos é sagrado.
Ele pertence a toda a humanidade.
Quem o atinge, atinge-a."

(Romain Roland, 1936)


Notícias
A fraqueza da Rússia é sua política económica

por Paul Craig Roberts e Michael Hudson

De acordo com várias informações, o governo russo está a reconsiderar a política neoliberal que tão mal serviu a Rússia desde o colapso da União Soviética. Se a Rússia adoptasse uma política económica inteligente, a sua economia estaria muito à frente de onde se situa hoje. Ela teria evitado a maior parte da fuga de capital para o ocidente se confiasse no auto-financiamento.

Leia mais...
 
A fraqueza da Rússia é sua política económica

por Paul Craig Roberts e Michael Hudson

De acordo com várias informações, o governo russo está a reconsiderar a política neoliberal que tão mal serviu a Rússia desde o colapso da União Soviética. Se a Rússia adoptasse uma política económica inteligente, a sua economia estaria muito à frente de onde se situa hoje. Ela teria evitado a maior parte da fuga de capital para o ocidente se confiasse no auto-financiamento.

Leia mais...
 
As nove vidas de Erdogan E o golpe de Gulen

M. K. Bhadrakumar é um experiente e bem informado analista de política internacional:


«Agora, a tentativa de golpe na Turquia ocorre na sequência da reaproximação turco-russa e de sinais nascentes de uma mudança nas políticas intervencionistas de Erdogan na Síria. Naturalmente, a Turquia é um “estado chave” nas estratégias regionais dos EUA e a reaproximação turco-russa chega no momento mais inoportuno para Washington».
Por outro lado, «Gulen obteve a permissão de residência nos EUA (”green card”), aparentemente por recomendação de altos responsáveis da CIA. Desde então tem vivido isolado na Pensilvânia e nunca saiu dos EUA em visita ao exterior».

Leia mais...
 
Provocação belicista
Escrito por Gustavo Carneiro   

Com este trabalho de Gustavo Carneiro sobre a Cimeira da NATO que hoje termina em Varsóvia, sublinhamos o seu significado, um passo mais na irresponsável e crescente provocação com que os senhores-da-guerra, comandados por Barack Obama, procuram intensificar a pressão que justifique um conflito maior com a Rússia.
«Uma tal cimeira nesse local [Varsóvia] ressoa como um desafio inútil e perigoso, principalmente quando conhecemos o reforço de armas nucleares da NATO na Europa. A Rússia não ameaça ninguém. Organiza apenas as suas cooperações econômicas e estratégicas com os Asiáticos, África e os países da América Latina. Estaria pronta a fazê-lo com os Estados Unidos e a Europa, mas esta última está ainda muito enfeudada à vontade americana para responder, mesmo que sintamos frémitos para erguer o jugo da vassalagem sob pressão do bom senso dos povos».
Quem disse isto não foi um perigoso anti-americano numa qualquer reunião subversiva, foi o coronel francês Alain Corvez, na Conferência internacional do Instituto Schiler em Berlim, capital da República Federal Alemã. O coronel Corvez é antigo conselheiro co Comandante Geral da Força das Nações Unidas no Sul do Líbano, antigo Conselheiro de Relações Internacionais no ministério do Interior francês e é atualmente conselheiro em estratégia internacional.

Última atualização em Sáb, 09 de Julho de 2016 19:08
Leia mais...
 
Brasil: Caos que desafia a imaginação

A aprovação pela Camara dos Deputados por maioria qualificada (367 cntra 137 e 7 abstenções) do impedimento da Presidente Dilma Rousseff anuncia o fim do governo do Partido dos Trabalhadores. Mas não o fim da alarmante crise em curso que tende mesmo a aprofundar-se.
O país mergulhou num caos que desafia a imaginação e flutua num pântano de corrupção politica e económica.
É uma crise dilemática em que todas as saídas previsíveis são negativas. Dilma é responsável por um governo desastroso. Aliada a forças políticas incompatíveis com o programa do seu partido, traiu os compromissos assumidos com o povo. A reforma agrária não avançou, a devastação da Amazónia prosseguiu, a Saúde e a Educação chegaram a um estado calamitoso, a invasão das terras dos indígenas prosseguiu.
O favorecimento do grande capital foi inocultável. Dezenas de milhões de pessoas vegetam em favelas e cortiços numa situação de miséria absoluta.
O PIB caiu e a sua queda vai prosseguir devido à baixa do preço do petróleo e das exportações de soja e minérios.
Dilma não é corrupta,embora tenha utlilizado fundos publicos no financiamento da sua campanha eleitoral. Mas ministros, altas personalidades do aparelho de estado ou a ele intimamente ligadas estão atoladas nos escândalos do «Lava Jato» que atingiu a Petrobras, empresa insígnia do Brasil.

Leia mais...
 
Obama em Cuba e na Argentina

Recebido com grandes esperanças pela ala esquerda do Partido Democrata, Obama não cumpriu as promessas que contribuíram decisivamente para a sua eleição e será recordado pelos futuros historiadores como um presidente dos EUA que desenvolveu uma estratégia que configura uma ameaça à Humanidade.
Na tournée latino-americana do presidente tudo correu de acordo com as previsões da Casa Branca. Em final de mandato, continua a projetar uma imagem que os seus atos demonstraram ser falsa. O Prémio Nobel da Paz envolveu o seu país em guerras criminosas e ordenou a construção de novas armas nucleares. Está em produção uma minibomba nuclear muito poderosa. O vice-chefe do estado-maior das Forças Armadas, general Cartrwight pede muitas. Para que fim?
Mas nas ruas de Buenos Aires milhares pessoas vaiaram Obama, condenando a sua presença no país.

 

Última atualização em Sáb, 26 de Março de 2016 18:40
Leia mais...
 
Trabalhadores gregos exigiram: Retirem a lei guilhotina

Os media portugueses ocultaram esta notícia

 

por KKE

A maior mobilização grevista dos últimos anos foi efectuada em 04/Fevereiro/2016. Milhares de pessoas, trabalhadores, agricultores, auto-empregados e estudantes, encheram as ruas de todas as principais cidades do país, com a sua exigência central de retirada do projecto de lei do governo SYRIZA-ANEL para o sistema de segurança social

 

Esta lei foi caracterizada como "lei guilhotina", pois reduz pensões, aumenta as contribuições dos trabalhadores para a segurança social, reduz os gastos do estado no sistema público de saúde e bem-estar e aumenta a idade de reforma.

 

As manifestações da Frente Militante de Todos os Trabalhadores (PAME), juntamente com as forças da aliança social do povo, tiveram um carácter de massa por todo o país. Os outros componentes desta aliança são: "Frente Militante de Todos os Agricultores" (PASY), a "Frente de Âmbito Nacional Anti-Monopolista" (PASEVE), as forças da Frente de Luta dos Estudantes (MAS), a Federação das Mulheres Gregas (OGE). Os agricultores com os seus tractores tomaram parte nas mobilizações grevistas dos trabalhadores em muitas cidades gregas, simbolizando a luta comum da classe trabalhadora com os agricultores médios e pobres.

 

Milhares de trabalhadores de todo o país combateram para defender a greve desde o princípio da manhã, do lado de fora de fábricas, lojas, serviços, portos, etc, contra o aparato de quebra greves dos patrões. A produção e os serviços foram paralisados por todo o país.

 

A manifestação do PAME em Atenas foi enorme. Ela passou frente ao Parlamento. Quando a cabeça da manifestação alcançou as Colunas do Zeus Olímpico, sua cauda ainda estava na Praça Omonia, enchendo todas as ruas centrais numa distância de mais de três quilómetros. Foi uma mobilização popular de massa, a qual segundo todas as estimativas era pelo menos quatro vezes maior do que outras manifestações organizadas pelas lideranças comprometidas do GSEE e federação ADEDY juntamente com sociais-democratas e grupos ultra-esquerda, bem como grupos dos chamados "anti-autoritários", os quais no fim empenharam-se em alguns incidentes de pequena escala com a polícia.

 

O orador do comício central do PAME foi G. Perros, membro do secretariado executivo do PAME, o qual atacou os planos do governo SYRIZA-ANEL, da UE e do grande capital, enfatizando que: "O big business não abandonará a perseguição dos seus interesses! Eles têm interesses imediatos e vitais no desmantelamento da Segurança Social. As medidas significam nova riqueza e o aumento da lucratividade para eles. Para nós, contudo, elas significam ainda maior miséria, pobreza, uma vida sem direitos, mínima saúde e cobertura da previdência!

 

Temos o poder para travá-los! Temos o poder para escalar a nossa luta, de modo a que eles se deparem face a face com uma muralha impenetrável criada pelo povo e uma frente sólida de luta que não será estancada".

 

Christos Pasoulas, membro do Secretariado Nacional do PASY e Valentin Pacho, vice secretário-geral da Federação Mundial de Sindicatos (WFTU) também discursaram no comício.

 

Declarações do SG do CC do KKE

 

O secretário-geral do comité central do KKE, Dimitris Koutsoumpas, compareceu ao comício do PAME em Atenas e fez a seguinte declaração:

 

"O grande êxito da greve geral, as grandes manifestações em todas as cidades do país, os bloqueios de estradas militantes dos agricultores, a participação de centenas de milhares de auto-empregados, cientistas profissionais, juventude e mulheres dos extractos populares enviam uma mensagem: Esta situação não pode continuar.

 

"O monstruoso projecto de lei que destrói o sistema de segurança social deve ser retirado imediatamente. As leis anti-trabalhadores e anti-povo devem ser abolidas. Nós escalamos e continuamos a luta até a vitória final. Com a unidade da classe trabalhadora, com os trabalhadores na linha da frente, com a aliança popular de todos os trabalhadores em todo sector. Com a orientação contra os monopólios que nos exploram, contra o sistema capitalista que arrastam ainda mais para baixo as vidas dos trabalhadores. Devemos tomar o assunto nas nossas próprias mãos".

 

Declaração do PAME

 

Na sua declaração após a greve, o PAME apela a lutas mais militantes, mais dinâmicas, com formas mais avançadas, por um aumento no número de mobilizações, com reuniões gerais nos lugares de trabalho, com paragens de trabalho, com greves sectoriais. Deve haver lutas em todo sector, todo sindicato deve tomar a decisão de uma nova greve ainda maior e de massa de modo que eles não ousarão trazer o projecto de lei ao Parlamento para ser votado.

 

A declaração enfatiza:

 

"A greve de hoje foi especial. Ela demonstrou claramente que sem o povo trabalhador nada funciona. Nenhuma fábrica, nenhuma lavoura, nenhuma loja, nenhum porto, comboio, nenhuma forma de transporte. Quando o povo trabalhador para a produção, o país paralisa!

 

"O grande êxito da greve de hoje, dos comícios maciços em todas as cidades, dos bloqueios militantes de estradas dos agricultores pobres por toda a Grécia, das ruas inundadas de povo, revela o potencial que hoje existe para bloquear o novo crime do Governo contra a Segurança Social, para avançar com novas exigências.

 

"A greve de hoje revelou a grande arma do povo: a aliança de trabalhadores, auto-empregados, agricultores pobres, mulheres e juventude. O êxito da greve geral de hoje mostra a fortaleza da aliança popular, quão importante e valiosa são sua formação e fortalecimento, com exigências e palavras de ordem que atinjam o coração daqueles que hoje se enriquecem a si próprios a nossas expensas, nossos exploradores, os monopólios, o grande patronato, a UE e seus governos [...]

 

"A classe trabalhadora e os estratos populares podem viver como merecem. Por esta razão não devemos nem um centímetro da nossa palavra de ordem "a lei guilhotina não deve passar", da exigência de que este monstruoso projecto de lei que desmantela e enterra a segurança social tem de ser retirado.

 

"O PAME apela a lutas mais militantes, mais poderosas, com formas mais avançadas! Podemos travar este crime!

 

"Eles devem sentir a nossa presença todos os dias, em todo local de trabalho, agência, escola, universidade, locais de aprendizagem, bairros, por toda a parte!

 

"Isto não é o fim!   Isto é só o começo!"

 

05/Fevereiro/2016

O original encontra-se em inter.kke.gr/...

 

Esta notícia encontra-se em http://resistir.info/ .

Última atualização em Qua, 10 de Fevereiro de 2016 19:05
 
Ucrânia: camisas castanhas e botas pretas Ilegalização do Partido Comunista

Quando as camisas castanhas dos fascistas, as botas pretas dos gangs paramilitares assolam as cidades ucranianas, e o Partido Comunista é proibido e forçado a passar à clandestinidade começam a faltar na Europa vozes que clamem por liberdade.

 

 

Leia mais...
 
Argentina: de la República al Régimen

Argentina: de la República al Régimen


(Por Atilio A. Boron) En escasas tres semanas el sistemático e incesante atropello del oficialismo a las normas, procedimientos y valores propios de una democracia precipitó la vertiginosa transición desde la república hacia una forma estatal diferente, que en la ciencia política se conoce bajo el nombre de régimen. Este se caracteriza por su desprecio por la legalidad, el autoritarismo en el ejercicio de las atribuciones presidenciales y la violación de las reglas del juego y de la cultura dialógica propias de la democracia. También por la supeditación de los otros poderes del estado a los designios del poder central y la esterilización de la voluntad popular resultante de la parálisis producida en el funcionamiento del congreso.

Leia mais...
 
Eleições em Espanha: mais as vozes que as nozes

Este artigo foi escrito logo a seguir às eleições espanholas de domingo passado. Não poderia constituir, assim, o balanço aprofundado desse processo eleitoral, e muito menos das incertas perspectivas abertas pelos seus resultados, que provavelmente tardarão bastante tempo ainda a clarificar. Mas identifica mistificações e manipulações que têm importante significado, como a promoção mediática de uma falso bipartidismo transformado em quadripartidismo, forma de gerar alternativas ilusórias e de assegurar a continuidade do sistema.

 

Última atualização em Dom, 03 de Janeiro de 2016 14:16
Leia mais...
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Pagina 6 de 22