Login
 
Home


"Luiz Carlos Prestes entrou vivo
no Panteon da História.  
Os séculos cantarão a 'canção de gesta'
dos mil e quinhentos homens da
Coluna Prestes e sua marcha de quase
três anos através do Brasil.
Um Carlos Prestes nos é sagrado.
Ele pertence a toda a humanidade.
Quem o atinge, atinge-a."

(Romain Roland, 1936)


ILCP
Ecuador: el pueblo dijo ni un paso atrás


Comparto nota sobre la elección presidencial del día de ayer en Ecuador

(Por Atilio A. Boron)  La victoria obtenida por Alianza País en el balotaje del 2 de Abril confirma que el pueblo ecuatoriano supo discernir lo que estaba en juego: la continuidad de un gobierno que marcó un antes y un después en la historia contemporánea del Ecuador o el suicida salto al vacío,  emulando la tragedia argentina. Lenin Moreno y Jorge Glas representan la consolidación de los avances logrados en numerosos campos de la vida social durante diez años bajo el liderazgo de Rafael Correa; su adversario, Guillermo Lasso, personificaba el retorno de la alianza social que tradicionalmente había gobernado al Ecuador con las desastrosas consecuencias por todos conocidas.

Última atualização em Qui, 06 de Abril de 2017 00:07
Leia mais...
 
LUIZ CARLOS PRESTES: UM JOVEM MILITAR EMPENHADO NA EDUCAÇÃO DOS SEUS SUBORDINADOS
Escrito por Anita Leocadia Prestes   

Neste texto, a partir das ideias de A. Gramsci sobre educação e hegemonia, aborda-se o empenho de Luiz Carlos Prestes, um jovem militar, na educação dos seus subordinados. Revela-se que Prestes, através de uma relação pedagógica, conquistara a hegemonia junto aos seus subordinados. Isso foi decisivo para a organização e a marcha da Coluna Prestes.

Clique aqui para ver o texto completo em PDF

Última atualização em Dom, 03 de Janeiro de 2016 22:04
 
É possível no Brasil de hoje, a partir das condições atuais, avançar rumo ao socialismo?
Escrito por Anita Leocadia Prestes   

Se considerarmos o clássico debate em torno das condições objetivas e subjetivas da revolução, vale a pena recordar a intervenção de Luiz Carlos Prestes nos marcos da “Conferência sobre a Dívida Externa” organizada pelo governo de Fidel Castro em Havana, em julho/agosto de 1985. Nessa ocasião Prestes afirmava:

A revolução não pode se realizar quando se quer. Ela só poderá eclodir e ser vitoriosa quando existam as condições objetivas e subjetivas para tanto indispensáveis. E tudo indica que em nosso Continente, se crescem cada vez mais as condições objetivas, as subjetivas ainda se retardam. Estamos longe também da indispensável organização e unidade da maioria esmagadora da classe operária, faltam-nos ainda partidos revolucionários efetivamente ligados às grandes massas trabalhadoras e populares.[1]

Diagnóstico que, lamentavelmente, trinta anos depois continua válido para o Brasil[2], embora as condições objetivas para a revolução socialista – um significativo desenvolvimento capitalista, em que as relações capitalistas de produção são dominantes, – sejam uma realidade amplamente reconhecida.

Última atualização em Qui, 18 de Junho de 2015 01:25
Leia mais...
 
As posições revisionistas (oportunistas) do Marxismo, o reformismo burguês e a situação no Brasil de Hoje
Escrito por Anita Leocadia Prestes   

Conferência de Anita Prestes em Portugal pronunciada em Beja e no Porto.

O legado de Luiz Carlos Prestes, ao apontar para a necessidade de considerar possíveis formas de transição ou de aproximação ao poder revolucionário, que venha a abrir caminho para a revolução socialista, constitui uma contribuição valiosa para as forças de esquerda que hoje estão empenhadas na luta por transformações profundas da sociedade brasileira, na luta por mudanças que não sirvam aos desígnios dos políticos das classes dominantes, interessados em que “tudo mude para que tudo permaneça como está”.

Publicada em resistir.info e odiário.info

Veja o arquivo PDF clicando aqui

Última atualização em Qui, 22 de Outubro de 2015 10:57
 
A ATUALIDADE DA ALIANÇA NACIONAL LIBERTADORA (ANL) – 80 ANOS DEPOIS
Escrito por Anita Leocadia Prestes   

Há 80 anos, em 30 de março de 1935, tinha lugar, no teatro João Caetano, no Rio deJa neiro, o lançamento público da Aliança Nacional Libertadora (ANL), ocasião em que Luiz Carlos Prestes foi aclamado presidente de honra da entidade, embora ainda não tivesse regressado ao Brasil do exílio onde se encontrava havia vários anos. Era constituída uma ampla frente formada por setores representativos da sociedade brasileira da época, mobilizados em torno de quatro objetivos principais: luta contra o avanço do integralismo no Brasil e do fascismo no cenário mundial, e luta contra a dominação imperialista e o latifúndio em nosso país.

A criação da ANL representou a culminância de um processo de aglutinação de grupos, setores, organizações e personalidades, decepcionados com o rumo tomado pela Revolução de 30, desiludidos de Vargas e do seu Governo. Ao mesmo tempo, para que essa unidade fosse alcançada, o nome, o prestígio, a liderança de Luiz Carlos Prestes mostraram-se essenciais. Sem o Cavaleiro da Esperança e tudo o que ele representava no Brasil, naquele momento, a ANL dificilmente teria existido.

Última atualização em Sáb, 23 de Maio de 2015 20:00
Leia mais...
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>

Pagina 5 de 10